expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Translate

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Capim-trança

Capim-trança

Nome científico: Sysyrinchium vaginatum.

Sinônimo popular: Capim-reis.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Ocorrência: Brasil, no bioma do cerrado.

Características: É uma erva de até 25 centímetros de altura, com folhas lanceoladas, alternas, coladas umas nas outras, achatadas lateralmente, parecidos com uma trança. A cor pode variar do verde-escuro a verde-amarelado, dependendo da luminosidade recebida e da época do ano, visto ser caducifólia.

Tipo de solo: Solos ácidos, bem drenados. Ocorre em ondulações do terreno, próximo a grotas, protegida do vento.

Uso medicinal: É utilizado com sucesso no tratamento de gripes, resfriados, febre, dor no corpo e problemas intestinais.



    Foto: Maria do Carmo Silva


Partes usadas: Toda a planta.

Dosagem e modo de usar: Uma planta do tamanho dessa da foto acima por um litro de água. Beber de 3 a 5 xícaras por dia.

Ótima saúde para todos!

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Ruibarbo-do-campo

Ruibarbo-do-campo

Nome científico: Trimezia juncifolia.

Sinônimos populares: Baririçó e junco-do-campo.


    Foto: Maria do Carmo Silva


Ocorrência: Brasil, no bioma do cerrado.

Tipo de solo: Solo ácido a semi-ácido, bem drenado.

Luminosidade: Sol pleno.

Características: É uma erva com folhas filiformes, cilíndricas, com até 80 centímetros de comprimento, verdes-brilhantes, flores amarelas, vistosas.

Uso medicinal: Purgativo, excelente para problemas de intestino preso.



    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Partes usadas: O tubérculo (batata).

Dosagem e modo de usar: De 20 a 50 gramas do tubérculo por um copo de água, uma vez por dia.

Ótima saúde para todos!

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Saca-rolhas

Saca-rolhas

Nome científico: Helicteres baruensis, Helicteres brevispira.

Sinônimos populares: Nenhum.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Ocorrência: É uma planta típica do cerrado, ocorrendo em bordas de matas de galeria ou matas ciliares.

Características: É um arbusto de até 3 metros de altura, pouco esgalhado, caule liso, marrom-acinzentado, folhas ovaladas, serrilhadas, meio lixentas ao tato, flores vermelhas e frutos helicoidais, daí o seu nome popular.

Uso medicinal: Cientificamente comprovado um dos melhores remédios naturais para gastrite e úlceras estomacais, além de ótimo cicatrizante.



    Foto: Maria do Carmo Silva


Partes usadas: Folhas e raízes.

Dosagem e modo de usar: De 20 a 30 gramas de raiz ou folhas por um litro de água, maceradas. Tomar de 3 a 5 xícaras por dia, durante pelo menos uma semana.

Ótima saúde para todos!

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Juá

Juá

Nome científico: Solanum viarum.

Sinônimo popular: Juá-bravo.


    Foto: Maria do Carmo Silva


Ocorrência: Brasil, em quase todo o território.

Tipo de solo: Gosta de solos férteis, mas adapta-se a qualquer tipo de solo. É considerada planta invasora.

Características: É um arbusto de até 80 centímetros de altura, com caule e galhos densamente cobertos por espinhos, folhas irregulares, cobertas de espinhos, flores arroxeadas, frutos amarelos quando maduros. Sabor amargo.

Uso medicinal: Os frutos são calmantes dos nervos e bons para azia; a raiz é diurética, emagrecedora, ótima para problemas de fígado e baço.



    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Partes usadas: Frutos e raízes.

Dosagem e modo de usar: De 10 a 30 gramas de fruto por um litro de água, macerados. Tomar de 3 a 5 xícaras por dia, durante um ou dois dias. De 20  30 gramas da raiz por um litro de água, em decocção. Beber de 3 a 5 xícaras por dia de 5 a 10 dias.

Ótima saúde para todos!


quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Pinheirinho-d'água

Pinheirinho-d'água

Nome científico: Myriophylum aquaticum.

Sinônimos populares: Pinheirinho e pinheiro-aquático.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Ocorrência: Brasil, em lagoas, brejos e rios.

Características: É uma erva semi-aquática, com aparência semelhante a um pinheiro, com até 50 centímetros de altura, com folhas minúsculas, verdes-claras.

Habitat: Suas raízes fixam se na terra, mas gosta de locais encharcados, onde fique com parte do caule submerso.

Uso medicinal: É antibiótico, excelente para inflamação de garganta, boca e gengiva.



    Foto: Maria do Carmo Silva


Partes usadas: A parte aérea da planta.

Dosagem e modo de usar: 20 gramas da planta macerados em 500 ml de água fria. Beber de 1 a 2 xícaras por dia. Também pode ser feito o gargarejo ou bochecho.

Ótima saúde para todos!

Visite também nossos outros blogs:
wwworquideasfloresdivinas.blogspot.com
wwwnaturezapura123.blogspot.com
wwwpoemasesentimentos.blogspot.com

E dois canais do you tube;
Farmácia natural: cura pelas plantas
Daniel Carvalho Gonçalves

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Sangue-de-Cristo

Sangue-de-cristo

Nome científico: Sabicea brasiliensis.

Sinônimo popular: Vinho-do-campo.


    Foto: Maria do Carmo Silva


Ocorrência: Brasil, no bioma do cerrado.

Características: É um arbusto de até 80 centímetros de altura, pouco esgalhado, mas formando pequenas touceiras, folhas ovaladas, opostas cruzadas, verdes-foscas na parte superior e quase brancas na parte inferior. O fruto é arredondado, pequeno, com polpa saborosa e abundante, róseo a vinho-escuro, quando maduro.

Tipo de solo: gosta de solos ácidos a semi-ácidos, bem drenados.

Luminosidade: Sol pleno.

Uso medicinal: Prisão de ventre e intestino (frutos) e doenças sexualmente transmissíveis como a sífilis, por exemplo (raiz).



    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Partes usadas: Frutos e raízes.

Dosagem e modo de usar: Para prisão de ventre, use o fruto in natura ou faça o suco do mesmo. Use ao menos 100 gramas deles. Para doenças venéreas, use 30 gramas de raiz por um litro de água, em decocção. Beba de 3 a 5 xícaras por dia, durante 10 dias.

Ótima saúde para todos!

Visite também nossos outros blogs;
wwwnaturezapura123.blogspot.com
wwworquideasfloresdivinas.blogspot.com
wwwpoemasesentimentos.blogspot.com

E dois canais do you tube:
Daniel Carvalho Gonçalves
farmácia natural: cura pelas plantas.

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Farinha-seca

Farinha-seca

Nome científico: Ouratea castaneifolea.

Sinônimo popular: Fruta-mickei.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Origem: Brasil, nas regiões Sudeste, Centro-oeste  e parte do Nordeste.

Ocorrência: Nos biomas do cerrado e mata atlântica.

Características: É uma árvore de até 8 metros de altura, bem esgalhada, tronco castanho-acinzentado, liso, folhas lanceoladas, serrilhadas nas bordas, verdes-brilhantes. O fruto é rodeado por pequenas castanhas, normalmente é vermelho e as castanhas cinza-enegrecidas quando maduras (essa da foto é uma variedade albina).

Uso medicinal: É antioxidante (retarda o envelhecimento), anti-tumoral (previne e impede o crescimento de tumores internos e externos), anti-inflamatória (artrite, artrose, etc.), vasodilatadora (evita entupimento das artérias) e anti-microbiana.



    Foto: Maria do Carmo Silva


Partes usadas: Casca e folhas.

Dosagem e modo de usar: 20 a 30 gramas da casca (por decocção) ou folhas (por infusão) por um litro de água. Tomar de 3 a 5 xícaras por dia. Se for como preventivo, use durante 10 dias três vezes por ano. Para tratamento de artrites e artroses, use durante 40 dias seguidos.

Observação: Nunca exceda a dosagem recomendada. Mesmo sendo um tratamento natural, é preciso se ater a isso. Uma dosagem maior pode acarretar riscos.E nunca deixe de consultar o seu médico.
Ótima saúde para todos!

Veja também nossos outros blogs;
wwwnaturezapura123.blogspot.com
wwworquideasfloresdivinas.blogspot.com
wwwpoemasesentimentos.blogspot.com
E mais dois canais do you tube:
Daniel Carvalho Gonçalves
Farmácia natural: cura pelas plantas.