expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Translate

sábado, 29 de março de 2014

Serralha

Serralha

Nome científico: Sochus oleraceus.

Sinônimos: Nenhum.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Ocorrência: De origem europeia, adaptou-se muito bem ao Sul e Sudeste do Brasil.

Ambiente: Gosta de solos férteis e bem drenados, frescos. Aprecia boa iluminação.

Características: É uma planta de até 50 centímetros de altura com folhas irregulares, bordas com pequenas serras, verde-fosco. Flores amarelas no ápice da planta.

Uso medicinal: Anti-inflamatória, diurética, anti-reumática, combate doenças do fígado e é um ótimo cicatrizante.

Partes usadas: Toda a planta (seca).

Dosagem e modo de usar: 30 gramas da planta por um litro de água em infusão. Tomar 4 ou 5 xícaras por dia. As folhas verdes podem ser amassadas e aplicadas sobre feridas como cicatrizante.

Ótima saúde para todos!


terça-feira, 18 de março de 2014

Bico-de-papagaio

Bico-de-papagaio

Nome científico: Erythrina mulungu.

Sinônimos:  Mulungu, mansa-senhor, capa-homem, canivete, corticeira, sapatinho-de-judeu, eritrina, sananduva e sainã.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Ocorrência: Brasil, nas regiões centrais.

Ambiente: Gosta de solos férteis, bem drenados a úmidos. Aprecia luminosidade intensa.

Características: É uma árvore mediana, bem esgalhada, folhas compostas. Flores vermelhas, com o cálice truncado e estandarte grande e recurvo.

Uso medicinal: É excelente calmante do sistema nervoso central, combate a insônia, depressão, hepatite, hipertensão, epilepsia e bronquite.



    Foto: Evandro Carlos Ferreira dos Santos


Partes usadas: Casca e entrecasca.

Dosagem e modo de usar:  30 gramas de casca ou entrecasca por um litro de água, em decocção. beber 4 ou 5 xícaras por dia.

Ótima saúde para todos!

terça-feira, 11 de março de 2014

Alfazema

Alfazema

Nome científico: Lavandula vera, Lavandula officinalis.

Sinônimos: Lavande e lavanda.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Ocorrência: É natural da Europa, mas bem aclimatada no Brasil.

Ambiente: Gosta de solos férteis, bem drenados, regas diárias e iluminação intensa.

Características: Todas as espécies de lavandulas tem porte parecido. Possuem caule estirado, esgalhado, folhas pequenas, verde-fosco, flores dispostas em círculos, violáceas ou amarelas.

Uso medicinal: Amenorreia, asma, afecções do fígado e do baço, cãibras, dor de cabeça, enxaqueca, gota,reumatismo e nevralgias.



    Foto: Evandro Carlos Ferreira dos Santos


Partes usadas: Toda a planta.

Dosagem e modo de usar: Para uso interno, 10 gramas da planta por um litro de água, fervida como chá. Tomar 3 ou 4 xícaras por dia. Para uso externo, deixe a planta curtir no álcool e use para massagear topicamente dores lombares, nevrálgicas ou na gota e reumatismo.

Ótima saúde para todos!

segunda-feira, 3 de março de 2014

Fel-da-terra

Fel-da-terra

Nome científico: Erythraea centaurim, Gentiana centaurium, Chironia centaurium e Centaurium minus.

Sinônimos:  Centáurea-menor, erva-da-febre, erva-do-centauro, planta-de-febre, quebra-febre.


   Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Ocorrência: Algumas espécies como a Erythraea centaurium são de origem européia, mas existem espécies que ocorrem no Brasil, como nos cerrados e campos.

Ambiente: No Brasil ocorrem em ambientes quentes e secos durante o dia e frios e úmidos durante a noite. Gostam de solos pobres e às vezes pedregosos. Apreciam boa iluminação.

Características: São ervas que medem de 20 a 60 centímetros de altura, com folhas opostas, coreáceas que vão do verde-fosco ao verde-brilhante. Apresenta floração abundante de coloração rósea, como visto acima.

Uso medicinal: É excelente estomáquico, aperiente, carminativo, desobstruente do fígado, combate febres e gota.

Partes usadas: Folhas e flores.

Dosagem e modo de usar: 30 gramas de folhas ou flores por um litro de água, em infusão. Tomar 4 ou 5 xícaras por dia.

Ótima saúde para todos!