expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Translate

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Maxixe

Maxixe

Nome científico: Cucumis anguria.

Sinônimos: Maxixeiro.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Ocorrência: De origem africana é bastante cultivada no Brasil, principalmente na região nordeste.

Ambiente: Gosta de solos férteis, bem drenados e locais com boa exposição ao sol.

Características: É uma planta rasteira, folhas palmadas, recortadas, flores amarelo-creme, frutos ovais, recobertos por pelos meio espinhosos.

Uso medicinal: Possui propriedades anti-inflamatórias, é emoliente, vermífuga e um ótimo cicatrizante.



    Foto: Evandro Carlos Ferreira dos Santos


Partes usadas: O fruto in natura e as folhas.

Dosagem e modo de usar: O fruto pode ser consumido cru, em saladas e pode ser utilizado diretamente sobre feridas, espinhas, etc. O chá é feito utilizando-se 15 gramas de folhas frescas por um litro de água. Toma-se 3 a 4 xícaras por dia.

Ótima saúde para todos!

terça-feira, 17 de junho de 2014

Guandu

Guandu

Nome científico: Cajanus indicus e Cajanus flavus.

Sinônimos: Guandeiro, cuandu, feijão-guandu, feijão-de-árvore e andu.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Ocorrência: Pode ser cultivado em todo o Brasil.

Ambiente: Gosta de solos férteis, bem drenados, locais bem ventilados e exposição direta ao sol.

Características: É um arbusto de até 2,5 metros de altura, bem esgalhado, folhas simples, meio aveludadas, verde-claro. O fruto é uma vagem semelhante à do feijão, aveludado e oleoso. É comestível e bastante saboroso.

Uso medicinal: Tem ação adstringente, emoliente, é um ótimo anti-inflamatório e depurativo.



    Foto: Evandro Carlos Ferreira dos Santos


Partes usadas: A vagem verde ou madura (não seca) e as folhas.

Dosagem e modo de usar: 15 gramas de vagem ou folha por um litro de água, por maceração. Tomar 4 ou 5 xícaras por dia.

Ótima saúde para todos!

quarta-feira, 11 de junho de 2014

Candelabro

Candelabro

Nome científico:  cassia alata.

Sinônimos: Mata-pasto, Maria-preta e fedegoso-de-folhas-largas.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Ocorrência: Praticamente em todo o Brasil.

Ambiente: Gosta de solos férteis e úmidos, normalmente em várzeas. Aprecia boa luminosidade.

Características: É um arbusto com até 2 metros de altura, com folhas compostas, paripenadas, obovadas, verde-escuro, flores paniculadas, amarelo-ouro.

Uso medicinal: Combate febres, tem ação tônica e emoliente e é um ótimo depurativo.

Partes usadas: Flores e folhas secas.

Dosagem e modo de usar: De 3 a 5 gramas de flores ou folhas secas por um litro de água. tomar de 3 a 4 xícaras por dia.

Observação: Comunique seu médico sobre o uso de remédios, mesmo que naturais, pois, o uso concomitante com outros medicamentos pode ser prejudicial ou anular seu efeito. Nunca exceda a dose recomendada.
Ótima saúde para todos!

sábado, 7 de junho de 2014

Perpétua

Perpétua

Nome científico: Gomphrena globosa.

Sinônimos: Suspiro, suspiro-roxo, amarantoide-violeta, imortal, amaranto-globoso, perpétua-roxa.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Ocorrência: Brasil, Panamá e Guatemala.

Ambiente: Gosta de solos férteis, bem drenados e sol direto.

Características: Planta de até 50 centímetros de altura com folhas inteiras oblanceoladas, verde-brilhante, com flores roxas.

Uso medicinal: Muito útil nas afecções das vias respiratórias.



    Foto: Evandro Carlos Ferreira dos Santos


Partes usadas: Flores.

Dosagem e modo de usar: 10 gramas de flores por um litro de água, em infusão. Tomar de 3 a 4 xícaras por dia.

Ótima saúde para todos!