expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Translate

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Cipó-de-são-João

Cipó-de-são-João

Nome científico: Pyrostegia venusta.

Sinônimos: Cipó-vermelho, liana de llana, flor-de-são-João e flame flower.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Ocorrência: América do Sul, em quase toda a sua extensão.

Ambiente: Gosta de locais ensolarados, solos bem drenados e férteis.

Características: É um cipó que cresce, frequentemente sobre arbustos, formando latadas, com folhas verde-brilhantes e flores em cachos, parecidas com trombeta, de cor alaranjada-flamejante.

Uso medicinal: Usada para problemas de pele como vitiligo e manchas brancas, tônico e no combate à diarreia.


    Foto: Evandro Carlos Ferreira dos Santos


Partes usadas: As flores depois de secas.

Dosagem: 10 gramas de flores secas por um litro de água, por infusão. Tomar 2 ou 3 xícaras por dia.
Pode-se também fazer uma dose mais forte, usando 60 gramas por litro de água, no tratamento tópico de manchas na pele ou vitiligo.

Todo medicamento deve ser usado com critério e responsabilidade.
Ótima saúde para todos!

domingo, 23 de junho de 2013

Avenca

Avenca

Nome científico: Veneris capillus, Avenca brasiliensis e Adiantum risophorum.

Sinônimos: Nenhum.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Ocorrência: América Central e América do Sul.

Ambiente: Fresco, sombreado e úmido. Aprecia boa adubação orgânica.

Características: É uma conhecida planta ornamental, entouceirada, bastante ramificada, folhas pequenas em forma de leque, verde-brilhante.

Uso medicinal: No combate ao catarro pulmonar, tosse, rouquidão, diminui as dores reumáticas e aumentar o apetite.


    Foto: Evandro Carlos Ferreira dos Santos


Partes usadas: Folhas.

Dosagem: 50 gramas de folhas frescas para um litro de água, por infusão. Tomar 4 ou 5 xícaras por dia.

Nunca abuse de remédios, mesmo os naturais, pois, podem prejudicar sua saúde se usados em doses erradas.
Ótima saúde para todos!

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Boldo-sete-dores

Boldo-sete-dores

Nome científico: Plectranthus barbatus.

Sinônimos: Boldo-de-jardim, boldo-africano, boldo-silvestre, falso-boldo, malva-santa, malva-amarga e sete-dores.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Origem: Índia, mas muito cultivado no Brasil.

Características: É um arbusto de até 1,5 metro de altura com folhas levemente serrilhadas, pilosas, verde-fosco.

Ambiente: Gosta de ambientes com temperaturas médias, bem iluminados e solos férteis e bem drenados.

Uso medicinal: Má digestão, azia e males do fígado.


    Foto: Evandro Carlos Ferreira dos Santos


Partes usadas: Folhas frescas.

Dosagem: 20 gramas de folhas frescas, maceradas, por litro de água. Tomar 4 ou 5 xícaras por dia.

Observação: Muitas pessoas confundem o boldo-sete-dores com o boldo-do-Chile, usado para mesmos fins e que será abordado em outro artigo. 
Nunca exceda a dose recomendada, pois, pode ser prejudicial à sua saúde.
Ó tima saúde para todos!

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Lobeira

Lobeira

Nome científico: Solanum lycocarpum st. hil.

Sinônimos: Fruta-do-lobo, fruta-lobo.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Ocorrência: Brasil, nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Goiás e Rio de Janeiro.

Ambiente: É uma planta típica do cerrado,gosta de ambientes bem iluminados, solos ácidos e bem drenados.

Características: É uma árvore de até 3,5 metros de altura, esgalhada, com espinhos no tronco, nos galhos e folhas. Suas flores são roxas e seu fruto esférico com até 15 centímetros de diâmetro. São comestíveis e uma das partes mais importantes da dieta do lobo-guará, daí o seu nome. Dá frutos várias vezes ao ano.

Uso medicinal: Emoliente, anti-reumática, combate bem a asma, gripes e resfriados.



    Foto: Evandro Carlos Ferreira dos Santos


Partes usadas: Folhas e frutos.

Dosagem: Como anti-reumático faz-se um chá usando 50 gramas de folhas por um litro de água e toma-se 4 ou 5 xícaras ao dia. Para asma e gripes, faz-se um xarope usando 200 gramas da polpa do fruto, um litro de água e 250 gramas de rapadura. Tomar uma colher de sopa de 2 em 2 horas.

Ótima saúde para todos!

domingo, 9 de junho de 2013

Bálsamo-branco

Bálsamo-branco

Nome científico: Sedum dendroideum.

Sinônimos: Bálsamo.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Ocorrência: África e Ásia, mas muito cultivado no Brasil.

Ambiente: Gosta de ambientes bem iluminados, solos bem adubados e com boa drenagem.

Características: É um arbusto pequeno com até 60 centímetros de altura, folhas semi-globulares, verde-claro, suculentas.

Uso medicinal: É emoliente, cicatrizante, ajuda no combate e prevenção de epilepsias, inflamações gastro-intestinais, inflamações na pele e dor de cabeça.


    Foto: Evandro Carlos Ferreira dos Santos


Partes usadas: As folhas frescas.

Dosagem: Bater 10 folhas com meio litro de leite no liquidificador. Tomar meia xícara de 2 em 2 horas.

Todo medicamento deve ser usado dentro de dosagens específicas. Nunca exceda na dose.
Ótima saúde para todos!


terça-feira, 4 de junho de 2013

Jabuticaba ( jabuticabeira )

Jabuticaba ( jabuticabeira )

Nome científico: Plinia trunciflora, Eugenia cauliflora, Myrcia cauliflora e Myrciaria cauliflora.

Sinônimos: Guapuru, fruita, jabuticaba-ponhema, jabuticaba-açu, jabuticaba-paulista.


                      Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Ocorrência: É uma planta nativa na Bolívia, Paraguai, América Central, Brasil, nos estados de Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, mas amplamente cultivada em todo o país.

Características: É uma árvore de até 7 metros de altura, bem esgalhada, com folhas pequenas e duras, flores amarelo-creme que dão agarradinhas nos troncos e galhos, fruta esféricas, variando entre o vinho e o preto, com até 5 centímetros de diâmetro.

Uso medicinal: É anti-oxidante, elimina moléculas instáveis de tumores, previne câncer e problemas cardíacos. É também útil no tratamento da asma.


    Foto: Evandro Carlos Ferreira dos Santos


Partes usadas: A fruta, principalmente a casca.

Dosagem: Pode-se consumir a fruta in natura, a casca principalmente. Pode fazer um chá delicioso com as cascas, usando 70 gramas de casca por um litro de água. Tomar 4 ou 5 xícaras por dia. Como é uma fruta que se perde com facilidade, pode-se estocá-la no congelador. Quem tem problemas com intestino preso deve consumir a casca com muita moderação, pois, possui qualidades adstringentes.

Ótima saúde para todos!

domingo, 2 de junho de 2013

Melão-de-São-Caetano

Melão-de-São-Caetano

Nome científico: Momordica charantia.

Sinônimos: Erva-de-São-Caetano e erva-de-lavadeira.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Ocorrência: Em praticamente todo o Brasil.

Ambiente: Quente e com boa umidade noturna. Solos bem drenados e ricos em matéria orgânica. É muito comum ser visto em terrenos baldios, próximo a hortas, etc.

Características: É um cipó bem ramificado e com bastante folhagem. Folhas em forma de palmas, um pouco serrilhadas, macias, verde-brilhante, flores amarelas e frutos laranja, com sementes vermelhas.

Uso medicinal: Vermífugo, ante-febril, ajuda na recuperação de queimaduras e problemas de pele.


    Foto: Evandro Carlos Ferreira dos Santos


Partes usadas: O fruto e as folhas.

Dosagem: 50 gramas de folhas ou frutos maduros por um litro de água, em infusão. Tomar 4 ou 5 xícaras de chá por dia. Para tratamento de problemas de pele, usar o sumo das folhas diretamente sobre a área afetada.

Nunca exceda a dose recomendada, pensando assim que vai aumentar o efeito terapêutico do remédio.
Ótima saúde para todos!